segunda-feira, 24 de março de 2008

Sá, Rodrix e Guarabyra - Festival Pedro Leopoldo


Bem, amigos(as)!
Neste post narrarei impressões que tive assistindo junto da patroa D. Flor, o show de "Sá, Rodrix e Gurabyra" no Festival de Verão de Pedro Leopoldo em 14/03/08.
Começo por dizer que somos fãs declarados e incondicionais deste trio (que virou duo sem Rodrix em 1973, e voltou a se reunir como trio em 2001). Formado em 1971 por Luiz Carlos Sá, Zé Rodrix e Gutenberg Guarabyra, talvez eles não tenham sido os precursores mas com certeza definiram o estilo que passou a ser conhecido como "Rock Rural", se tornando uma das maiores referencias na história do cancioneiro popular brasileiro.
Fico feliz por ver iniciativas como a do tradicional festival de Pedro Leopoldo, que apesar de alguns anos inativo retornou reunindo a preços populares; Lô Borges, Amaranto, Tavito, Marina Machado, Tadeu Franco entre outros grandes artistas.
Apesar do excelente intuito o festival ficou muito a dever em termos de organização. A estrutura do local onde assistimos Sá, Rodrix e Guarabyra estava muito aquém da grandeza do show. As estruturas de palco, iluminação e som estavam vergonhosas!
Entretanto fiquei orgulhoso por ver que apesar da adversidade da estrutura, os caras se mostraram com alegria, simpatia, fôlego e empolgação de dar inveja à maior parte da nossa insosa geração da musica atual...
Em um palco baixo e à menos de dois metros de distancia de um publico relativamente pequeno (veja foto), fizeram uma apresentação quase particular em um show muito interativo. Esbanjando simpatia, tocaram os classicos de sua extensa carreira entremeados por "causos", estórias e microfonias.
Apesar do som precário, assistir o show dos caras foi um presente memorável!
Há de se respeitar os mais de trinta anos de excelentes serviços prestados à musica brasileira!
Post dedicado à Rafayellow e André Pancia, fãs desses caras como eu!

2 comentários:

Mariane disse...

Silêncio que a Patroa vai falar!

Tenho que reforçar as congratulações ao Festival de Pedro Leopoldo, reforçando que o único evento cobrado (preços populares)foi este que nós fomos... os demais foram entrada franca (louvável)!
Quanto aos elogios ao trio, me rendo e aproveito para reproduzir um questionamento do autor desse blog, com o título "Pensem amigos":

" "Ele(artista) não se preocupa com o público como uma entidade
estática, mas com o seu público especifí­co; para ele, a qualidade é
muito mais importante do que a quantidade. O público que ocupa e
inquieta a mente do artista é um público restrito e especial, e não o público em geral: o mérito da obra de um artista nunca poderá ser
determinado por um concurso de popularidade."

O livro estava falando sobre o verdadeiro artista. Aqui fica a
pergunta.

O Verdadeiro artista quer vender ou quer se expressar? Quem faz
arte para vender é um artista ou não? " (10/12/2007 _ Cristiano Nogueira)


Pra mim esses caras são VERDADEIROS artistas !

Flor - Marianne Moraes

Anônimo disse...

O link do primeiro álbum está inválido... Se puderes repostá-lo, ficaria agradecido.